Como determinar o número de pessoas em uma manifestação.

O método mais conhecido para fazermos uma estimativa da quantidade de pessoas em uma manifestação é chamado de Método de Jacobs, em homenagem ao seu criador, Herbert Jacobs. Ele desenvolveu esse método depois de observar inúmeros protestos contra a Guerra do Vietnã da janela de seu escritório.

A área na qual os manifestantes estavam mostrava um padrão de setores – uma espécie de grade imaginária – que permitia contar quantos manifestantes ocupavam um determinado espaço e comparar tudo isso com as medidas da praça ou rua que estava sendo ocupada.

Em multidões mais densas o padrão apresenta que cada pessoa ocupa cerca de 20 centímetros quadrados. Em uma multidão um pouco menos densa os participantes tem cerca de 40 centímetros quadrados de espaço para se locomover, e em multidões leves, os participantes chegam a ter até 1 metro quadrado de espaço para locomoção.

Nascia assim o método Jacobs, que apesar de ser simples e lógico (e justamente por esse motivo) é utilizado até hoje.

Diferença entre sessão, cessão e seção.

Diferença entre sessão, cessão e seção (ou secção).

Sessão = reunião.

Ex: Sessão do Congresso Nacional.

—————–

Cessão = ceder.

Ex: Somos contra a cessão de pessoal capacitado.

—————–

Seção ou secção = separação, repartição.

Ex: A seção de pessoal é a mais movimentada da empresa.

—————-

Os contadores de histórias estão na mira do Conar.

propaganda-menor

A técnica – conhecida no meio publicitário como storytelling – está causando polêmica com a notícia que o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) estaria abrindo processo para julgar tanto a fabricante de sucos em caixinha Do Bem como a fabricante dos sorvetes Diletto.

Tudo teria começado com uma reportagem da revista Exame, na qual era dito que o suco de laranja vendido pela Do Bem era fornecido por uma gigante do setor e não pelo “Seu Francisco”, como diziam seus textos publicitários… Já a Dilleto teria atribuído a um personagem chamado Nonno Vittorio, que seria avô de um dos donos da empresa, a receita de seus sorvetes… O que levaria o consumidor ao erro por criar empatia e simpatia com a marca através de uma ficção…

É interessante observarmos que há alguns anos atrás as empresas utilizavam técnicas bem mais “agressivas” e tudo passava despercebido.

Um pouco de sabedoria Budista.

buda

“Guardar raiva é como segurar um carvão em brasa com a intenção de atirá-lo em alguém; é você que se queima…”

“Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo…”

“Felizes são aqueles cujo conhecimento é livre de ilusões e superstições…”

“Não viva no passado, não sonhe com o futuro, concentre a mente no momento presente…”

“Há cinco coisas neste mundo que ninguém pode realizar: primeira, evitar a velhice, quando se está envelhecendo; segundo, evitar a doença, quando o corpo é predisposto à enfermidade; terceira, não morrer quando o corpo deve morrer; quarta, negar a dissolução, quando, de fato, há a dissolução do corpo; quinta, negar a extinção, quando tudo deve extinguir-se.”

“Eu sou o resultado de meus próprios atos, herdeiros de atos; atos são a matriz que me trouxe, os atos são o meu parentesco; os atos recaem sobre mim; qualquer ato que eu realize, bom ou mal, eu dele herdarei. Eis em que deve sempre refletir todo o homem e toda mulher…”

“A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta…”

 

Se um banco falir eu perco meu dinheiro?

Muitos me perguntam:

Se um banco falir eu perco meu dinheiro depositado na poupança ou no CDB?

Depende… O FGC (Fundo Garantidor de Crédito) garante um determinado valor (atualmente 70 mil) por titular e por instituição. Se você possui investimentos superiores a 70 mil em uma única instituição financeira, o valor excedente a essa quantia poderá ser perdido em caso de falência… Até 70 mil por instituição é garantido.

O ensino da História da Matemática como instrumento de estímulo ao estudo da disciplina.

O ENSINO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO INSTRUMENTO DE ESTÍMULO AO ESTUDO DA DISCIPLINA

O ensino da história da matemática, na educação básica, pode contribuir no sentido em que possibilita a contextualização da disciplina em termos práticos. Através de exemplos de vida os alunos podem compreender melhor a aplicabilidade das fórmulas e cálculos matemáticos – que sem isso poderiam parecer difíceis e inúteis.

Segundo D’Ambrosio (1999, P.97)“As idéias matemáticas comparecem em toda a evolução da humanidade, definindo estratégias de ação para lidar com o ambiente, criando e desenhando instrumentos para esse fim, e buscando explicações sobre os fatos e fenômenos da natureza e para a própria existência. Em todos os momentos da história e em todas as civilizações, as idéias matemáticas estão presentes em todas as formas de fazer e de saber.”

Através do estudo da história da matemática os alunos podem acompanhar a evolução da disciplina ao longo do tempo e das civilizações. Contextualizando assim o estudo da matemática e tornando esse estudo mais próximo das outras disciplinas. Segundo D’Ambrosio (1999, P. 97) “Acredito que um dos maiores erros que se pratica em educação, em particular na Educação Matemática, é desvincular a Matemática das outras atividades humanas.”

É interessante e estimulante, por exemplo, saber como foi à evolução na resolução de problemas matemáticos e a consequente criação e evolução das fórmulas matemáticas. O estudo e a contextualização da história da matemática acaba por trazer a tona a humanidade da disciplina. Quem foram as pessoas que contribuíram para a resolução deste ou daquele problema, e quais foram as situações reais e práticas que levaram a este estudo. De acordo com os DCE (2006, P.24) :

O ensino da matemática trata a construção do conhecimento matemático sob uma visão histórica, de modo que os conceitos são apresentados, discutidos, construídos e reconstruídos e também influenciam na formação do pensamento humano e na produção de sua existência por meio das ideias e tecnologias.

Um possível entrave ao ensino da história da matemática na educação básica se da pela falta desta disciplina em alguns currículos de licenciatura. Os professores devem complementar os estudos através de pesquisas e cursos, o que na realidade – muitas vezes – não ocorre, deixando uma lacuna na formação desses profissionais.

Chegamos a conclusão de que o estudo da história da matemática deve permear por toda grade curricular da disciplina, desde o ensino básico até o superior.

Aplicativo que permite resolver contas com a câmera do celular.

matematica-celular

O PhotoMath resolve passo a passo as questões e apesar de – segundo seu criador – ter sido criado para ajudar no estudo da matemática, pode vir a ser um problema a mais no estudo e mais um instrumento de cola para os alunos.

Pepsi lança sua versão verde para concorrer com a Coca Life.

Pepsi_verde

Pepsi lança sua versão verde – e adoçada a base de stevia – para concorrer com a Coca Life.

A bebida que irá se chamar Pepsi True, terá 30% a menos de açúcar – devido a stevia – e assim como a Coca Life, deve demorar algum tempo para entrar no mercado nacional, devido a restrições a bebidas – não alcoólicas – que utilizam a mistura de adoçantes.