A diferença entre os termos publicidade e propaganda.

Apesar de em grande parte do mundo, a propaganda ser entendida como a ferramenta de comunicação com fins políticos, ideológicos ou religiosos (homônimo) e a publicidade (advertising, publicidad, publicità, publicité) a comunicação comercial… No Brasil temos – junto a alguns grupos – a defesa de que o termo propaganda deve designar a comunicação comercial e a publicidade os esforços em gerar mídia gratuita (próprios das relações públicas e assessoria de imprensa).

Mas o pior disso tudo é que a grande maioria das pessoas que vejo defendendo esta “tese” não sabe disso… Apenas repetem as explicações simplistas de seus professores e/ou que leram em algum livro traduzido de maneira equivocada… Falar que “Kotler” disse que propaganda é isso ou aquilo está errado… Kotler fala de Advertising, mesmo porque existe o termo (homônimo) “propaganda” em inglês e ele designa a comunicação com fins políticos, ideológicos ou religiosos… Chega a ser engraçado, pois essas pessoas usam ferramentas próprias da propaganda para “propagar” esta ideia.

Sou defensor de um entendimento mais claro – pois caso contrário – iríamos perder as lições e até o entendimento das ferramentas de comunicação de massa próprias da propaganda e também acabaríamos por deturpar o entendimento dos esforços de relações públicas e assessoria de imprensa em gerar mídia gratuita. O simplismo acabaria também deturpando as habilitações da Comunicação Social… Entre outros problemas… Nem sempre o caminho mais fácil é o certo.

Se for copiar, coloque os créditos… Obrigado!

Os contadores de histórias estão na mira do Conar.

propaganda-menor

A técnica – conhecida no meio publicitário como storytelling – está causando polêmica com a notícia que o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) estaria abrindo processo para julgar tanto a fabricante de sucos em caixinha Do Bem como a fabricante dos sorvetes Diletto.

Tudo teria começado com uma reportagem da revista Exame, na qual era dito que o suco de laranja vendido pela Do Bem era fornecido por uma gigante do setor e não pelo “Seu Francisco”, como diziam seus textos publicitários… Já a Dilleto teria atribuído a um personagem chamado Nonno Vittorio, que seria avô de um dos donos da empresa, a receita de seus sorvetes… O que levaria o consumidor ao erro por criar empatia e simpatia com a marca através de uma ficção…

É interessante observarmos que há alguns anos atrás as empresas utilizavam técnicas bem mais “agressivas” e tudo passava despercebido.

Será que uma pessoa mascando chiclete causa boa impressão?

chiclete

A marca de chicletes Beldent (que é conhecida no Brasil como Trident), recrutou gêmeos idênticos para uma ação publicitária inusitada… O tema da campanha é mostrar a diferença que uma pessoa com um simples chiclete pode causar à primeira vista… A campanha “Almost Identical” ganhou 8 leões no festival de publicidade de Cannes…

Sabe de nada, inocente! Conar veta comercial com “Compadre Washington”.

Cumpadi-w

Conar veta comercial com “Compadre Washington”.

Depois de receber algo em torno de 50 reclamações, o Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária (Conar) decidiu que o comercial do BomNegócio.com, protagonizado pelo “Compadre Washington”, deveria ser retirado do ar até ser modificado… Ao que parece, o que mais incomodou foi a palavra “ordinária” (que nem chega a ser dita completamente)…

Sabe de nada, inocente!