Telemarketing ou televendas – ninguém aguenta mais.

televendas

(01/01/2017 – Obs: Venho recebendo centenas de ligações para meu celular de números com DDD 081… Procurando por determinada pessoa que não conheço… E mesmo depois de serem avisados que não sou essa pessoa e que nunca ouvi falar na mesma. As ligações continuam… Depois de muito sofrimento consegui descobrir que se trata de uma empresa de cobrança… Mas por que continuam ligando insistentemente – mesmo depois de saber que o telefone não pertence aquela determinada pessoa que procuram? Será que recebem por contato realizado?)

Ligações contínuas e inconvenientes… O telefone toca, você tenta atender e a ligação não é completada… Por dias, semanas… A grande realidade é que ninguém aguenta mais o telemarketing ativo. Alias, este tipo de ação de comunicação não deveria ser chamado de telemarketing e sim televendas. Pois o marketing é oposto às vendas, no sentido em que se tenho o marketing e suas variáveis controláveis (produto, preço, promoção e praça) alinhados o produto vende – praticamente – sozinho, sem a necessidade de um grande e inútil esforço de vendas.

Não sou contra as operadoras de televendas e sim contra o estratégico dessas empresas, que não veem que estão é “queimando o filme” dos bancos, empresas de telefonia (como se isso fosse possível) e demais empresas que usam este tipo de serviço. Tem que haver mais marketing e menos venda. As empresas devem criar atratividade e oferecer um serviço realmente eficaz de televendas passivo. O cliente já interessado liga e é prontamente atendido por uma pessoa que realmente conhece o assunto. Mas o que vemos é justamente o oposto, eles ligam insistentemente para você, são incômodos e inoportunos… Mas quando você está realmente interessado em algum plano ou promoção e liga o atendimento é péssimo.

E o que podemos fazer diante disso tudo… O que me deixa mais chocado é pensar que se existe o serviço de televendas ativo é porque o mesmo da lucro… Mesmo “queimando o filme” das empresas da lucro… Ou seja, existem ainda pessoas que compram algo, fecham planos a partir desse serviço incômodo e sem noção… Pois ligam enquanto você dirige, dorme, trabalha… E sem permissão para isso… Para cada vinte ligações, muitas vezes, apenas uma é completada (as outras caem quando você atende)… E ainda existem pessoas que compram… Existem campanhas nas quais quem liga para você é um robô… E ainda existem pessoas que compram… As próprias operadoras de televendas ficariam muito mais confortáveis em um serviço de atendimento passivo… E ainda existem pessoas que compram…

Para finalizar, gostaria de falar que o serviço é televendas (o departamento pode até ser chamado de telemarketing) e que a efetividade do televendas ativo é cada dia menor… Só vejo futuro em casos extremamente customizados, como a sua gerente pessoal ligando diretamente para você ou como resposta a uma solicitação ou permissão sua, ou mesmo uma empresa fornecedora ligando para uma loja de varejo, por exemplo. Enquanto isso, o telemarketing passivo (que é tão mal trabalhado pelas empresas) tem sim um futuro promissor (inclusive utilizando novas tecnologias).

Televendas ativo para pessoas físicas, não atendo, não compro e quero – dentro das possibilidades – distância das empresas que utilizam este serviço.

Acreditem, o cliente nunca mais volta – Sam Walton (Wal-Mart).

sam-walton
Anos atrás, Sam Walton, fundador da maior rede de varejo do mundo, a Wal-Mart, abriu um programa de treinamento para seus funcionários, com muita sabedoria. Quando todos esperavam uma palestra sobre vendas ou atendimento, ele iniciou com as seguintes palavras:

“Eu sou o homem que vai a um restaurante, senta-se à mesa e espera pacientemente, enquanto o garçom faz tudo, menos anotar o meu pedido.
Eu sou o homem que vai a uma loja e espera calado, enquanto os vendedores terminam suas conversas particulares.
Eu sou o homem que entra num posto de gasolina e nunca usa a buzina, mas espera pacientemente que o empregado termine a leitura do seu jornal.
Eu sou o homem que explica sua desesperada urgência por uma peça, mas não reclama quando a recebe somente após três semanas de espera.
Eu sou o homem que, quando entra num estabelecimento comercial, parece estar pedindo um favor, implorando por um sorriso ou esperando apenas ser notado.
Você deve estar pensando que sou uma pessoa quieta, paciente, do tipo que nunca cria problemas… Engana-se.

Sabe quem eu sou? Eu sou o cliente que nunca mais volta!
Divirto-me vendo milhões sendo gastos todos os anos em anúncios de toda ordem, para levar-me de novo à sua empresa, sendo que quando fui lá pela primeira vez, tudo o que deveriam ter feito era apenas uma pequena gentileza, simples e barata: tratar-me com um pouco mais de cortesia.
Só existe um chefe: O CLIENTE. E ele pode demitir todas as pessoas da empresa, do presidente ao faxineiro, simplesmente levando o seu dinheiro para gastar em outro lugar.”

Técnicas de vendas e negociação.

blackfriday

 

Técnicas de vendas e negociação:

 

O profissional de vendas. 

Todos vendem e negociam o tempo todo, mesmo que não saibam disso. O viver em sociedade obriga o cidadão a uma eterna negociação. Vendemos nossa imagem, nossos pontos de vista; negociamos o relacionamento com nossos companheiros; vendemos nosso carro, um imóvel de família etc.

O profissional de vendas, neste cenário, poderia ser definido como aquele que possuidor de qualidades como: Facilidade de comunicação e empatia, gosto por desafios, espírito competitivo, comprometimento com objetivos, entre outros. Pode exercer essa função profissionalmente, servindo de elo entre as organizações e o mercado.

Continuar lendo Técnicas de vendas e negociação.

Neurolinguística.

neuro

 

Neurolingüística:

 

Técnicas avançadas de venda, aplicando o estudo da neurolingüística na prática das vendas diretas.

Como vender mais e melhor a partir da percepção dos canais sensoriais do cliente.

Como sabemos, todo atendimento em vendas diretas deve ser customizado. Para otimizar ainda mais os resultados, devemos criar uma sintonia durante este atendimento, levando em conta o canal sensorial mais utilizado pelo cliente. Para criar empatia e facilitar o contato devemos pautar toda a argumentação e movimentos de venda com este canal. Desta forma, estaremos utilizando o canal de maior representação e mais fácil captação para o cérebro do cliente.

São três os canais sensoriais, que captam estímulos externos e os registram no
Cérebro. Os três canais são: o visual, o auditivo e o cinestésico.

 

Continuar lendo Neurolinguística.